Dica MSK da Semana para Escaneamento do Ligamento Poplíteo Oblíquo | NYSORA

Dica MSK da semana para digitalização do ligamento poplíteo oblíquo

21 de novembro de 2022.

O ligamento poplíteo oblíquo (OPL) fornece uma função de reforço crítica, atuando como uma estrutura estabilizadora para a parte posterior do joelho. Como tal, requer atenção especial ao tratar pacientes com lesões no joelho. Hoje, estamos compartilhando uma visão geral rápida para atualizar seu conhecimento do OPL. 

O LPO se estende do côndilo femoral lateral, onde se funde com o músculo plantar, até o planalto tibial medial, onde se fixa juntamente com a inserção do semimembranoso. Ele forma uma estrutura em forma de Y com o músculo semimembranoso e funciona como suporte para a articulação do joelho. 

Etapas de digitalização: 

  1. Com o paciente em decúbito ventral, posicione o transdutor longitudinalmente, unindo o côndilo femoral lateral e a borda medial do planalto tibial.
  2. Identifique o OPL entre o fêmur e a tíbia. 
  3. As seguintes estruturas também podem ser identificadas no ultrassom:
    • Músculo gastrocnêmio medial: Superficial
    • Artéria poplítea
    • Nervo tibial: Localizado superficialmente à artéria poplítea
    • Músculo semimembranoso: Localizado em linha com o LPO
    • Cápsula articular: localizada profundamente ao OPL
    • Ligamento cruzado posterior: Estrutura hipoecóica localizada entre o fêmur e a tíbia

Sonoanatomia do ligamento poplíteo oblíquo. LPO, ligamento poplíteo oblíquo; TN, nervo tibial; PA, artéria poplítea; MG, músculo gastrocnêmio medial; LCP, ligamento cruzado posterior; SemiM, músculo semimembranoso.

Baixe o aplicativo MSK e comece seu teste gratuito de 7 dias para ler mais sobre OPL e acessar as técnicas mais práticas e aplicáveis ​​em anatomia musculoesquelética de ultrassom e terapia regenerativa do joelho.

Veja mais novidades